Pesquisar este blog

8 de set de 2012

Jornada nas Estrelas - 46 anos - Star Trek




Star Trek foi uma série de televisão americana de ficção científica criada por Gene Roddenberry, produzida pela Desilu Productions (mais tarde pela Paramount Television) e exibida pela NBC de 8 de setembro de 1966 até 3 de junho de 1969.[1]
Apesar de seu título ser Star Trek, adquiriu o retrônimo de Star Trek: The Original Series para se diferenciar de suas sequências e do universo ficcional criado. Ela se passa no século XXIII. A série segue as aventuras da tripulação da nave estelar USS Enterprise, comandada pelo Capitão James T. Kirk, o Primeiro Oficial Comandante Spock e o Oficial Médico Chefe Leonard McCoy. O monólogo de introdução narrado por William Shatner em cada episódio estabelece o propósito da nave:
Espaço: a fronteira final. Estas são as viagens da nave estelar Enterprise. Em sua missão de cinco anos... para explorar novos mundos... para pesquisar novas vidas... novas civilizações... audaciosamente indo onde nenhum homem jamais esteve.
Quando Star Trek estreou na NBC em 1966 não foi um sucesso. Inicialmente, seus Nielsen Ratings foram baixos. Antes do final da primeira temporada, alguns executivos da NBC queriam cancelar o programa devido aos seus indíces baixos de audiência.
Ao final de sua segunda temporada, a série foi quase cancelada novamente. Devido a uma campanhas dos fãs, a série recebeu uma terceira temporada, porém a NBC mudou o dia de exibição para o "horário da morte" de sexta-feira, 22:00. Star Trek foi cancelada ao final de sua terceira temporada depois de 79 episódios. Entretanto, isso foi o suficiente para o programa ir para a sindicação, permitindo se tornar extremamente popular com reprises durante a década de 1970. O sucesso do programa foi seguido por outras cinco séries de televisão e onze filmes. O Guinness World Records reconhece Star Trek como a série de televisão com o maior número de spin-offs da história
Em 1964, Gene Roddenberry, um grande fã de ficção científica, esboçou uma proposta de uma série de televisão de ficção científica chamada de Star Trek. Ela se passaria a bordo de uma grande nave estelar cuja tripulação se dedicaria a exploração de uma parte da Via Láctea.
Algumas das influências de Roddenberry foram os contos de A. E. van Vogt sobre a nave estelar Space Beagle, a série Marathon de Eric Frank Russell e o filme Forbidden Planet (1956). Outras pessoas viram paralelos com as séries Rocky Jones, Space Ranger, uma série menos sofisticada que inclui muitos elementos; como a organização, missões, relações da tripulação, desenho da ponte e até tecnologia que foram partes de Star Trek.
Roddenberry também se inspirou nos livros de Horatio Hornblower, escritos por C. S. Forrester, sobre um capitão de navio que exerce autoridade em missões distantes de propósito nobre. Roddenberry frequentemente dizia, de forma bem humorada, que James T. Kirk era o "Horatio Hornblower do espaço".
Roddenberry tinha grande experiência em escrever séries sobre o Velho Oeste que eram bastante populares nos anos 1950 e 1960, chamando seu novo programa de um "vagão de trem para as estrelas". Em 1964, Roddenberry assinou um contrato para desenvolver um programa em três anos com a produtora independente Desilu Productions. Em seu conceito original, o protagonista era o Capitão Robert April da nave estelar SS Yorktown. O personagem depois foi transformado no Capitão Christopher Pike.
O conceito de Star Trek foi apresentado primeiramente para a CBS, que recusou em favor da série Lost in Space, criada por Irwin Allen. Roddenberry então apresentou Star Trek para o chefe da Desilu Studio, Herb Solow, que eventualmente aceitou o projeto. Solow então vendeu os direitos de Star Trek para a NBC, que pagou pelo piloto rejeitado "The Cage", que foi descrito como "muito cerebral".[4] Mesmo assim, os executivos da NBC ainda ficaram impressionados com o conceito, e perceberam que as falhas se deviam parcialmente ao roteiro que eles mesmos haviam aprovado.[4] Os executivos da NBC então fizeram uma decisão pouco comum, encomendaram um novo piloto, usando o roteiro chamado "Where No Man Has Gone Before". Apenas o personagem de Spock, interpretado por Leonard Nimoy, permaneceu no segundo piloto, e apenas Majel Barrett e Nimoy permaneceram no elenco. O novo piloto foi aprovado pela NBC e Star Trek foi agendado para estrear no outono de 1966.
O segundo piloto introduziu o resto do elenco principal: Capitão Kirk (William Shatner), Engenheiro Chefe Tenente-Comandante Scott (James Doohan) e o Tenente Sulu (George Takei). Paul Fix interpretou o Dr. Mark Piper no segundo piloto; Leonard McCoy (DeForest Kelley) só se juntou ao elenco após o início das filmagens da primeira temporada. Também se juntou a tripulação permanente a Oficial de Comunicações, Tenente Uhura (Nichelle Nichols), a primeira mulher afro-americana a ter um papel tão importante em uma série americana. Walter Koenig se juntou ao elenco como o Alferes Pavel Chekov no início da segunda temporada.




Elenco

Ator Personagem Posto Patente
William Shatner James T. Kirk Oficial Comandante Capitão
Leonard Nimoy Spock Primeiro Oficial
Oficial de Ciências Tenente-Comandante
Comandante
DeForest Kelley Leonard McCoy Oficial Médico Chefe Tenente-Comandante
James Doohan Montgomery Scott Segundo Oficial
Engenheiro Chefe Tenente-Comandante
Nichelle Nichols Nyota Uhura Oficial de Comunicações Tenente
George Takei Hikaru Sulu Piloto
Armas Tenente
Walter Koenig Pavel Chekov Navegador
Ofical de Segurança
Oficial Tático Alferes
Majel Barrett Christine Chapel Enfermeira Tenente
Grace Lee Whitney Janice Rand Ordenança do Capitão Ordenança
Sulu e Uhura não receberam primeiros nomes na série. O primeiro nome de Sulu, Hikaru, foi revelado apenas em Star Trek VI: The Undiscovered Country. O primeiro nome de Uhura nunca foi mencionado em tela, porém o nome Nyota foi usado em muitos livros. Foi oficializado o nome Nyota pela primeira vez no filme de 2009. O nome do meio de Kirk nunca foi falado na série até o episódio de The Animated Series "Bem". Devido a conflitos internos sobre a canonidade da The Animated Series no universo de Star Trek, o nome do meio de Kirk, Tiberius, só foi revelado em The Undiscovered Country. Uma lápide no segundo piloto da série mostra o nome "James R. Kirk". Porém, isso é frequentemente explicado como um erro do personagem Gary Mitchell, que criou a lápide, por não conhecer o nome verdadeiro de Kirk.
Majel Barrett também fez a voz do computador da USS Enterprise na The Original Séries e em outras séries e filmes de Star Trek. Ela também interpretou a pilota e primeira oficial de Christopher Pike no piloto rejeitado "The Cage". Ela e Gene Roddenberry se casaram em 1969.
Tinha-se a intenção de se expandir o papel de Sulu na segunda temporada, porém como George Takei estava ocupado filmando o filme The Green Berets, ele participou apenas de metade da temporada, com suas falas sendo entregues a Walter Koenig como o jovem navegador russo Pavel Chekov. Quando Takei retornou, os dois tiveram de divir o mesmo camarim e o mesmo roteiro.
Além dos personagens principais, a série frequentemente incluía (geralmente seguranças vestidos de vermelho) que eram mortos o se machucavam logo após sua introdução. Tal artifício foi usuado tão frequentemente que o termo "camisa vermelha" virou sinônimo de um personagem dispensável cujo único propósito era morrer violentamente para demonstrar o perigo que os personagens principais iriam enfrentar.
Caracterizações
Foto promocional do elenco de Star Trek para sua terceira temporada. Da esquerda para a direita: James Doohan, Walter Koenig, DeForest Kelley, Majel Barrett, William Shatner, Nichelle Nichols, Leonard Nimoy e George Takei.
Star Trek fez de seu elenco, desconhecido na época, celebridades. Kelley havia aparecido em vários filmes e séries de televisão, porém em papéis pequenos, na maioria como vilão. Nimoy tinha experiências na TV e em filmes, porém não era conhecido. Nimoy havia aparecido com Shatner no episódio "The Project Strigas Affair" da série The Man from U.N.C.L.E., dois anos antes de Star Trek. Antes da série, Shatner já era conhecido, tendo feito vários papéis notáveis em filmes, interpretado Cyrano de Bergerac na Broadway. Porém, quando os papéis se tornaram escassos, ele aceitou o papel de regular na série após o contrato de Jeffrey Hunter não foi renovado. Após alguns episódios, os membros do elenco começaram a se sentir marcados por seus papéis em Star Trek. Entretanto, Michael Dorn, que interpretou Worf em The Next Generation e em Deep Space Nine, afirmou em 1991 que: "se o que aconteceu com o primeiro elenco se chama ficar marcado, então eu quero ficar marcado. Claro, eles não conseguiram trabalho depois de 'Trek'. Porém eles estão fazendo o sexto filme. Nomeie outro alguém na televisão que fez seis filmes!".
Os três protagonistas principais eram Kirk, Spock e McCoy; com os roteiristas frequentemente "brincando" com suas personalidades: Kirk era impulsivo e às vezes agressivo, porém com um astuto senso de humor; Spock era frio e lógico; e McCoy era sarcástico más sempre compassivo. Em várias histórias os três entravam em choque, com Kirk sendo forçado a fazer uma decisão difícil enquanto Spock mostrava o caminho lógico, e às vezes duro, da situação e McCoy (ou Magro) tenta fazer as coisas que iriam causar menos mal. McCoy e Spock tinham uma relação conturbada que mascarava o verdadeiro sentimento de afeição e respeito de um pelo outro. Suas discuções constantes se tornaram muito populares entre os fãs.[39] A enfâse do programa no diálogo era tão grande que o diretor e roteirista de Star Trek Nicholas Meyer chamou a série de um rádio drama, mostrando um episódio da série para estudantes de cinema sem o vídeo para provar que o enredo ainda era compreensível.
O personagem de Spock foi inicialmente rejeitado pelos executivos da emissora por acharem sua aparência um pouco "satânica", algo que eles acharam que iria perturbar os espectadores. A NBC ainda apagou suas orelhas pontudas e redesenhou suas sobranselhas nos materiais promocionais divulgados e enviados a outras emissoras afiliadas. Spock, entretanto, se tornou o personagem mais popular entre os fãs, junto com a personalidade de médico do interior de McCoy. Spock, na verdade, se tornou até um símbolo sexual,[40] algo que ninguém envolvido na série poderia prever. Nimoy notou que a questão da extraordinária sensualidade de Spock surgiu "quase todas as vezes que eu falava com alguém na imprensa... Nunca demonstrei que a questão de Spock ser um símbolo sexual é estúpida".

FONTE:  WIKIPEDIA



Também gostou? Deixa uma mensagem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem em destaque

ATENÇÃO PARA OS NOVOS VALORES DE CONSULTA

ATENÇÃO PARA OS NOVOS VALORES DE CONSULTA NOVOS VALORES: FALO TUDO O QUE SAIR NO JOGO, BOM OU RUIM POR 80 REAIS. Com direito a 5 pergu...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Google+ Badge